A importância das trilhas

Caminhar em meio a natureza é uma forma muito prazerosa de se praticar exercícios físicos. Faz muito bem para a saúde física e mental.  Permite que se tenha momentos de lazer, relaxamento e contemplação da natureza. Sem contar as aventuras, experiências e histórias incríveis que proporcionam. Além disso, as trilhas ajudam as pessoas a conhecerem e terem um contato mais próximo do entorno de suas cidades e comunidades. Além de ser um importante meio pelo quais se constroem valores, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente. E, de fato, é uma das melhores maneiras de se reenergizar e se reencontrar com a paz.

 

Por onde e como começar

Se você nunca fez trilhas ou está começando, de modo geral, o ideal é que você faça as mais fáceis, onde não se tem muitos obstáculos e que não sejam tão extensas. Procure ir com quem já possui experiência e conhecimento sobre o local. Sempre avise alguém para onde está indo.

 

Atenção para as regras e dicas gerais:

Fazer trilhas é uma atividade que exige responsabilidade, e para que tudo ocorra bem, a disciplina e o respeito algumas regras são fundamentais:

 

  1. Respeitar todas as orientações passadas pelos organizadores do evento;

  2. Não se dispersar do grupo;

  3. Respeitar os demais integrantes;

  4. Não deixar lixo na trilha. Sempre leve uma sacolinha extra e traga de volta;

  5. Não ingerir bebidas alcoólicas nem fazer o uso de drogas;

  6. Hidratar-se bem;

  7. Levar bom humor, disposição e alegria!

  8. Companheirismo é fundamental!

Vestimentas e calçado

Quando estamos inseridos ambientes naturais, estamos expostos a diversos fatores de riscos e intempéries, como exposição ao sol, frio, vento, chuva. Então,  a primeira coisa a se preocupar é com a vestimenta. Como bem diz Cavallari, experiente aventureiro, já faz muito tempo as roupas deixaram de ser simples pedaços de pano e ganharam status extensão de nossos corpos. Tendo como principal função nos proteger. Portanto, utilizar as vestimentas adequadas é fundamental. O mesma vale para o calçado.

 

Calçado: o ideal é utilizar uma bota, pois têm mais resistência e fornece maior proteção aos pés. A aderência do calçado também é muito importante. Atenção: não faça trilhas de chinelos ou sandálias de dedo, pois estes calçados aumentam os riscos de torções, picadas de insetos, etc.

 

Já havia falado aqui que sobre o sistema de vestimenta em camadas. É um conceito muito simples, porém muito eficiente, onde cada camada possui uma função específica.

Primeira Camada: também chamada de segunda pele, por realmente imitar a função da pele humana. Serve para retirar o suor da superfície da pele, transferindo o diretamente para o ar, ou para a camada subsequente, permitindo que ele evapore, mantendo a roupa seca. Se a rupa estiver molhada, iremos perder calor 23 vezes mais rápido. Existem muitos tecidos com esta tecnologia, sendo o ideal um de secagem rápida e com boa condução de umidade. Os de Poliéster, como o DryFit é o mais comum.

 

Segunda Camada: essa é uma camada intermediária, com função de “aquecer o corpo”. Na verdade, roupas não produzem calor, mas sim retêm ou retardam a perda do mesmo. A segunda camada, portanto, serve para isolar a temperatura do corpo, mantendo-o aquecido. A segunda pele também é respirável, transferindo o suor para a terceira camada. As blusas de Fleece são as mais comuns e as mais fácies de encontrar nas lojas e sites no Brasil.

Terceira Camada: essa camada protege contra o vento e a chuva, por ser impermeável. O que é interessante nessa camada é que, antes de existir os tecidos respiráveis, as roupas impermeáveis nos protegiam da chuva, mas nos encharcava de suor, o que fazia com que a sensação térmica fosse de frio e, consequentemente, risco de hipotermia. A tecnologia empregou o conceito de tecido respirável e impermeável. Cada poro desse material é milhares de vezes menor do que uma molécula de água, mas centenas de vezes maior que uma molécula  de vapor d’água. Isso significa que a água da chuva não infiltra no tecido, mas o suor, em forma de vapor, consegue atravessar o tecido, transferindo-o para o ar.

Dicas extras.

Calça x Bermuda: a calça oferece mais proteção do que bermuda, tanto do sol, como contra insetos, espinhos e plantas urticantes, arranhões, etc. Vale ressaltar que em alguns casos, o uso da calça é fundamental, como por exemplo trilhas em altas montanhas, onde a exposição ao sol é maior.

 

Camisa Manga Curta X Camisa Manga Longa: assim com a calça, a camisa de manga longa fornece mais proteção do que de manga curta. O uso de camisas regatas não é aconselhável em trilhas, principalmente em montanhas, pois há alto risco de insolação. O tipo de tecido mais adequado é aquele de secagem rápida tipo Dry Fit.

Alimentação

Prefira alimentos que darão mais energia para a realização da atividade (ricos em carboidratos), que sejam leves e de rápida digestibilidade, como pães, frutas frescas, secas e cristalizadas, barras de cereais, barrinhas energéticas, sucos, etc.

 

Hidratação

É indispensável a ingestão de água durante as trilhas, assim como em qualquer outro tipo de atividade física, pois se não houver a reposição do líquido no corpo, corre-se o risco de desidratação. Importante levar uma quantidade suficiente de água para o período que se pretender permanecer na trilha. Portanto sempre leve uma água em quantidade suficiente. Devemos sempre lembrar que o ideal é ingerir água em pequenas quantidades e em curtos espaços de tempo, e não esperar dar sede para beber, mantendo o corpo sempre hidratado!

 

Medicamentos, cuidados e conservação da saúde:

Conservar a saúde em bom estado é um dos requisitos fundamentais para garantir a segurança. Não esqueça de levar medicamentos de uso contínuo, casa faça uso de algum. Procure levar protetor solar, repelente e anda sempre com um kit básico de primeiros socorros.

 

Equipamentos e acessórios básicos

Para quem está iniciando, alguns itens são fundamentais para trilhas de curta duração (até 1 dia).

  • Bota – para caminhar com mais segurança.
     

  • Mochila 20 a 30 L – para guardar seus pertences.
     

  • Garrafinha - para armazenar água.
     

  • Bastão de caminhada (opcional) – para auxiliar na absorção de impactos nos aclives e declives.
     

  • Lanterna - item obrigatório, caso vá ver o pôr do sol ou vá fazer trilha noturna.
     

  • Capa de chuva – sempre bom ter uma na mochila.
     

  • Boné ou Chapéu – é sempre aconselhável o uso para proteger do sol.
     

  • Protetor solar – para prevenir insolação e a proteger a pele contra queimaduras ou vermelhidão do sol.
     

  • Repelente – para afastar alguns mosquitos.

 

Itens básicos para camping:

Para trilhas em que há necessidade de pernoitar em acampamento, alguns itens básico são fundamentais:

  • Mochila Cargueira – a partir de 50, 60 ou até 75 litros.
     

  • Barraca – será seu abrigo contra o frio, vento, chuva, etc., e onde passará a noite.
     

  • Lanterna – prefira de cabeça, pois deixa as mãos livres. Para iluminar durante a noite.
     

  • Isolante térmico – serve para forrar o chão da barraca e dormir em cima dele, dentro do saco de dormir. Dificulta a dissipação de calor e cria uma barreira isolando a temperatura do solo. A temperatura do solo não passará para seu corpo, você não também perderá calor corporal.
     

  • Saco de dormir – manterá você quentinho.

 

MEIO AMBIENTE E MÍNIMO IMPACTO

Quando se está em algum ambiente natural, acredita-se que se está lá é pelo amor a natureza e/ou o bem que ela faz. Sendo assim, deve-se sempre seguir, pelo menos, estas regras:

  • Drogas e bebidas alcoólicas: jamais use ou consuma durante a viagem e durante as atividades ao ar livre. O uso de substâncias tóxicas ou bebidas alcoólicas pode aumentar os riscos de desorientação, desidratação, perda de percepção, diminuição de reflexos, além de comprometer o desempenho e segurança de todo o grupo.

 

  • Fogueira: fogueira em área natural é proibido e o risco de incêndio é iminente. Quando for acampar, lembre-se  que o uso adequado de vestimenta, equipamentos e acessórios suprem muito mais do que a fogueira. ‎Para iluminar – use lanterna; para fazer comida – use fogareiro; para suportar o frio – fique dentro da barraca, use vestimentas adequadas, etc...

 

  • Resíduos: a geração de resíduos é inerente a atividade humana. Até mesmo em áreas naturais geramos resíduos, como por exemplo, embalagens e resíduos orgânicos de alimentos que levamos para lanches e/ou refeições. Em hipótese alguma os resíduos gerados devem ser deixados no local, ser queimado ou receber outra forma de disposição ambientalmente inadequada. O mesmo deverá ser trazido de volta e depositado em algum local onde exista a coleta. Evite embalagens demasiadas e leve somente o necessário.

 

  • Necessidades fisiológicas: o famoso número um (‘’xixi’’) e número dois (‘’cocô’’) devem ser feitos em áreas longe de cursos d’água, para evitar a contaminação de fonte ou recursos hídricos. O número dois deve ainda ser enterrado: cave um buraco, faça o cocô e enterre-o. Ou melhor, use um Shit Tube.

 

 

Conteúdo em atualização. Comunique-nos em casos de equívocos e/ou sugestões.

Copyright © 2017 ECOTRILHEIROS
ECOTRILHEIROS - TRILHAS E ECOTURISMO. CNPJ MEI / CADASTUR: 31.323.580/0001-81