• Romário Sousa

Como se Vestir para as Trilhas - Entenda o Sistema de Vestimenta em 3 Camadas

Atualizado: 29 de Mai de 2018

Todo ano, no Brasil, quando acaba o verão e diminui a frequência de chuvas, para muitos já é o início da temporada de montanhas. E para quem deseja subi-las é bom se preparar! Quando estamos inseridos nesses tipos de ambientes, estamos expostos a diversos fatores de riscos e intempéries, como exposição ao sol, frio, vento, chuva. Há tempos “as roupas deixaram de ser simples pedaços de pano e ganharam status extensão de nossos corpos” (Cavallini), e por terem como principal função nos proteger, utilizar as vestimentas adequadas é fundamental.


As diversas expedições ao redor do mundo foram fundamentais para o avanço da tecnologia aplicada às roupas. Com a popularização do esporte de aventura, a partir dos anos 1970, tecidos que antes eram restritos a pesquisadores da NASA tornaram mais acessíveis aos lojistas e esportistas. A partir de 1980, coma necessidade de desenvolver tecidos capazes de manter a temperatura central do corpo, surgiram as roupas respiráveis e impermeáveis. Hoje em dia é muito fácil encontrar estes tipos de vestimentas em lojas de múltiplos esportes e em lojas especializadas em esportes de aventura.


Durante uma caminhada ao ar livre, estamos sujeitos a um conjunto de situações críticas: sol, chuva, ventos, frio, aliados ao suor do corpo, clima instável. Situações do tipo são muito comuns em roteiros de trekking e para obter maior conforto e segurança, a primeira coisa que devemos nos preocupar é com a vestimenta. Uma única peça de roupa seria impossível para fornecer proteção para todos esses fatores. Por isso a solução está na vestimenta em camadas!


Sistema de Vestimenta em 3 Camadas

O sistema de camadas é o mais utilizado pelos excursionistas. É um conceito muito simples, porém muito eficiente, onde cada camada possui uma função específica. Entenda melhor:


PRIMEIRA CAMADA: também chamada de segunda pele, por realmente imitar a função da pele humana. Serve para reti

rar o suor da superfície da pele, transferindo o diretamente para o ar, ou para a camada subsequente, permitindo que ele evapore, mantendo a roupa seca. Se a rupa estiver molhada, iremos perder calor 23 vezes mais rápido. Existem muitos tecidos com esta tecnologia, sendo o ideal um de secagem rápida e com boa condução de umidade. Os de Poliéster, como o DryFit é o mais comum.


SEGUNDA CAMADA: essa é uma camada intermediária, com função de “aquecer o corpo”. Na verdade, roupas não produzem calor, mas sim retêm ou retardam a perda do mesmo. A segunda camada, portanto, serve para isolar a temperatura do corpo, mantendo-o aquecido. A segunda pele também é respirável, transferindo o suor para a terceira camada. As blusas de fleece são as mais comuns e as mais fácies de encontrar nas lojas e sites no Brasil.


TERCEIRA CAMADA: essa camada protege contra o vento e a chuva, por ser impermeável. O que é interessante nessa camada é que, antes de existir os tecidos respiráveis, as roupas impermeáveis nos protegiam da chuva, mas nos encharcava de suor, o que fazia com que a sensação térmica fosse de frio e, consequentemente, risco de hipotermia. A tecnologia empregou o conceito de tecido respirável e impermeável. Cada poro desse material é milhares de vezes menor do que uma molécula de água, mas centenas de vezes maior que uma molécula de vapor d’água. Isso significa que a água da chuva não infiltra no tecido, mas o suor, em forma de vapor, consegue atravessar o tecido, transferindo-o para o ar.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

CAVALLARI, Guilherme. Manual de Trekking & Aventura. Kalapallo, 2008.


317 visualizações
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social

fb.me/ecotrilheiros

@ecotrilheiros

11 95791-9036

31.323.580/0001-81
Copyright © 2017 ECOTRILHEIROS